22 de novembro de 2009

Imagine all the people sharing all the world... ♫

Oi gente... Não tenho muito tempo aqui, então vou direto pro post, que eu acho que vai ser grande...

-

Hoje eu presenciei uma cena que me deixou bastante comovida: duas pessoas, um senhor e uma senhora, na frente do Angeloni pedindo ajuda.
Uma cena cotidiana, rotineira, que sempre me deixa com um peso enorme no coração, porém a atitude de algumas pessoas me deixaram mais leve. Eu raramente tenho dinheiro, e naquele momento eu não tinha, já começo a ficar mal nessa hora. Enquanto as pessoas passavam para chegar a entrada do supermercado, a senhora, ao pé da escada, pedia dinheiro. Ela não estava mal vestida, mas tinha uma cara cansada, de uma pessoa que já tinha passado por muita coisa na vida. O senhor estava com uma aparência pior, mas carregava um sorriso nos lábios e veio falar comigo, de bom humor, falando do tempo. E eu parada com a Lucy (minha cachorra) e uma grade separando os dois. Eu, com um sorriso, respondi que o tempo tava bom - fresquinho e nublado, pelo menos não tava chovendo, hê - e ele saiu, foi pro ponto de táxi.
Aí que meu coração começou a ficar um pouco mais leve: um taxista estava fazendo um lanchinho - não que eu tenha reparado, na verdade só vi a cena seguinte: ele chamou o senhor, e entregou metade de um pacote de biscoitos waffer pra ele. Eu fiquei emocionada com aquilo. Sei que biscoito não é comida, mas pra quem tem fome serve pelo menos pra forrar o estômago.
Voltando à senhora, eu ficava de longe observando todos que passavam. Depois de um tempo, um homem deu algumas moedinhas pra ela, que ficou muito, muito agradecida. Depois uma senhora, que já tinha passado por ali antes, voltou e deu mais algumas moedinhas pra ela. Enquanto alguns passavam sem nem ouví-la. Enfim, veio um homem que saiu de dentro do supermercado e comprou pra ela um lanche. Aquilo trouxe lágrimas aos meus olhos, quando o cara voltou para o supermercado, ele me pegou sorrindo pra ele, eu havia ficado satifeita com o ato dele, enquanto eu não podia fazer nada. Depois de um tempo, outro cara passou por mim e entregou pra ela uma caixinha de leite. Como ela ficou feliz! E eu me sentindo bem com as pessoas que faziam isso.
Uns dois minutos depois, sai uma mulher do supermercado, com um menino, um ano mais novo que eu, ela tinha na mão uma sacola plástica com duas caixinhas de leite. Em outra sacola (daquelas retornáveis) levava as coisas que havia adquirido para o conforto e alimento da família. Ela entregou a sacola plástica com as duas caixinhas de leite pra senhora. Meu coração ficou leve. Era a minha mãe.

-

História de um domingo chuvoso e feio, que se transformou em um domingo mais alegre. Pras pessoas ajudadas e pra quem ajudou. Isso, claro, me lembra John Lennon, que lutou em suas letras por um mundo igual para todos.
Hoje vi que muitas pessoas vêm outras pessoas de forma igual! Param, conversam, ajudam. Embora muitas ainda nem olhem, e tratam pessoas como seres invisíveis, saí dali muito, muito mais leve. Se eu não tivesse visto ninguém ajudando, iria voltar pra casa com a consciência pesada, e pediria à minha pra ajudar. Pra ela (minha mãe) sei que não é preciso: muitas vezes já a vi ajudando pessoas que estavam precisando, eu tenho um enorme orgulho da minha mãe. *-*

Finalizando o post, quero deixar um recado final, o meu ato de ajuda: Yuri, amigo, qualquer coisa que tu precisar - um ombro, um abraço, um colinho, qualquer coisa - pode contar com a baixinha aqui, ok? É um momento muito delicado e muito "família", e eu não sei muito como confortar alguém sem ser assim... Então, eu espero que você fique bem, e conta comigo, sim, ok? ;) Te adoro meu filhote! *-*

Beijo grande a todos os que comentaram ;)

__________ ♫


IMAGINE

JOHN LENNON

Imagine que não há paraíso
É fácil se você tentar
Nenhum inferno abaixo de nós
E acima de você apenas o céu
Imagine todas as pessoas
Vivendo para o hoje

Imagine não existir países
Não é difícil de fazê-lo
Nada pelo que lutar ou morrer
E nenhuma religião também
Imagine todas as pessoas
Vivendo a vida em paz

Talvez você diga que
eu sou um sonhador
Mas não sou o único
Desejo que um dia
você se junte a nós
E o mundo, então, será como um só

Imagine não existir posses
Surpreenderia-me se você conseguisse
Sem ganância e fome
Uma irmandade humana
Imagine todas as pessoas
Compartilhando o mundo


_______ ♫


4 comentários:

Yuri disse...

primeiroo! õ/

aaah, que historia legal!
ainda bem que ainda existe gente pra ajudar essas pessoas...
são poucas, mas ja é alguma coisa né...

Iris, brigado pela força, mesmo...
ainda bem que eu posso contar com voce...
e se precisar, eu to aqui pra te ajudar!

Rogério disse...

eu tb fico feliz quando posso ajudar as pessoas, não digo apenas dar dinheiro p as pessoas, mas digo ajudar uma senhora que está saindo mercado a levar sua sacola de compras p casa(um dia eu fiz isso), coisas simples que não custam nada, mas valem muito, obrigado por esta história, alegrou meu "fim de noite estudando"

Flesch disse...

Aee
só pra lembrar: dia 8 (terça) fez 2 meses que nos conhecemos... o mais incrível é que parece dois anos... HAUHAUH
História de fato comovente! Adorei, e realmente acho que o mundo ainda tem salvação, quando leio essas coisas... beijoos

Ninadara disse...

Amei essa "história"...própria para uma noite de NATAL...é para pensar em nossos atos de um novo ano!! Ah...só para saber...eu também conheço essa moça(sua mãe) que ajudou a "senhorinha". Não esperaria outra atitude de uma pessoa tão iluminada quando ela!!!Ela me faz muita falta no NEI...
Beijos...saudades!!